Posts Recentes

DESMISTIFICANDO ROCK E CERVEJA – PARTE 1

DESMISTIFICANDO ROCK E CERVEJA – PARTE 1

Por  Henrique Carnevalli, t.izêro, Sommelier de Cervejas, amo música desde pirralho, noveleiro, corinthiano sofredor e cofundador do site RockBreja. Quando a gente pensa nos termos ‘Popular’, ‘Fácil Aceitação’ e ‘Leve’ o que vem em sua cabeça quando se trata de Rock? Pop Rock correto? Quando 

Itália 1 – “Pizze, Pasta, Dolci e Birre”

Itália 1 – “Pizze, Pasta, Dolci e Birre”

Por Luiz Caropreso, professor, sommelier, escritor, consultor e colunista para a área de cervejas. Diretor da BeerBiz Cultura Cervejeira. Leia também: UNA BIRRA, PER FAVORE! Olá meus amigos cervejeiros. Quero contar para vocês algumas passagens de uma viagem que fiz para a Itália. l’amore italiano Viajei 

DIA MUNDIAL DO ROCK

DIA MUNDIAL DO ROCK

Por André “Carioca” Souza, sagitariano, louco por números e cerveja, mestre em estilos, especialista em harmonização e técnico cervejeiro, desde 2008 desvendando e ensinando a arte de degustar o líquido sagrado, a cerveja, claro! Responsável pela divulgação de conteúdo do @embxdrs.da.cerva.

Leia também: MÚSICA E CERVEJA

E aí pessoal, tudo bem? Falar do dia mundial do Rock que é comemorado hoje no Brasil, 13.07.21, pra mim é muito fácil!

Apesar de ser carioca, a terra do Samba e do Carnaval, passei minha vida inteira sendo influenciado por amigos que (graças a Deus), por serem mais velhos, já conheciam o estilo ou tinham uma banda de rock, mas também pela minha irmã que me levava com ela nos shows de rock escondido da minha mãe ahahahahaha.

Foi ai que com 16 anos comprei minha primeira guitarra Fernandes Japonesa original (que tenho até hoje!) e comecei a tocar lá no Garage (o local sagrado de todos os iniciantes em bandas no RJ).

A partir dali não parei mais e cada dia eu sou mais apaixonado por este estilo que transmite ao mesmo tempo o som da rebeldia e dos ritmos dançantes clássicos.

UM DIA, UM SHOW ICÔNICO

Mas se vocês se perguntam, qual a origem do dia mundial do Rock? Bom, a resposta é meio esquisita mas vale: A celebração da data “mundial” é comemorada somente no Brasil e sua origem é uma homenagem ao show que ficou conhecido como LIVE AID, um megaevento organizado por Bob Geldof, e ocorreu nesta data no ano de 1985 com o objetivo de angariar fundos para o fim da fome na Etiópia. Ficou famoso pois vários artistas e cantores do rock prestigiaram o evento e com isso ficou conhecido mundialmente.

Porém, no Brasil a data ficou conhecida por iniciativa de duas rádios que mencionavam o evento neste dia e por aceitação popular dos ouvintes passou a ser um marco na história do Rock no Brasil, comemorada até hoje!

Imagens show Live Aids no estádio de Wembley (Inglaterra)
Imagens show Live Aids no estádio de Wembley (Inglaterra)

Mas vocês sabem dizer como surgiu o Rock N’ Roll? A resposta correta é: ninguém sabe ao certo! Por isso, vou contar a vocês um pouco da história e evolução deste ritmo que nunca irá morrer e harmonizar essas décadas maravilhosas com uma super cerveja da Paulistânia, afinal rock e Paulistânia harmonizam demais!

Década de 40

Tudo leva a crer que o estilo musical mais tocado no mundo começou por volta de 1940 em solo norte americano, mais precisamente nas cidades de Memphis, New Orleans e Texas, entre outras, e por influência direta dos estilos Country, Folk, Rhythm & Blues, Jazz, Blues clássico e, claro, do Gospel americano.

Estes estilos eram tradicionais e influenciados por harmonizações sonoras mas com uma pegada mais forte, trazida pela guitarra elétrica e batidas da bateria, marcadas pelo contrabaixo que eram utilizados nesta época. A guitarra elétrica foi “inventada” em torno de 1930 onde as evoluções dos captadores eletromagnéticos foram fundamentais para sua origem.

Daí pra frente tudo tende a melhorar. Vários cantores e bandas começaram a chamar este novo estilo, com uma pegada mais forte e mais agitada, de Rock (do termo dançante, estar em êxtase, e até, incitar à alegria do momento) e Roll (que vem de rolling, ou mesmo rolar, com uma conotação mais picante, vamos assim dizer). Por isso, em tradução livre, Rock N’ Roll pode ser traduzido como “balançar e rolar”.

As “origens” são associadas a Louis Jordan, Sister Rosetta Tharper Goree Carter, entre muitos outros. Agora, imagine-se naquela época, qual bebida você escolheria para harmonizar com o ritmo dançante do rock? Com certeza seria uma bela escolha uma cerveja Pilsen, muito tradicional naquela época. Eu escolho para vocês experimentarem a Paulistânia Marco Zero.

Esta cerveja premiadíssima e consagrada como um marco inicial da Paulistânia é bem equilibrada no malte e no lúpulo. Aromática e refrescante, é límpida e extremamente clássica, tudo que uma música com uma guitarra das antigas merece!

Rock anos 40

Décadas de 50 e 60

Após o estrondoso sucesso do novo estilo musical, vários cantores e compositores aderiram ao estilo e fizeram músicas mais provocantes no qual não se conseguia ficar parado!

Elvis Presley
Eterno Rei do Rock Elvis Presley

Na década de 50, dentre eles temos que citar Bill Halley (Rock around the clock), Buddy Holly, Chuck Berry, Little Richard e claro, o rei do rock, Elvis Presley (Jailhouse Rock). O rock começa então, a partir daí, a se tornar um estilo que aparecia frequentemente nas TVS americanas (em preto e branco) para o púbico de predominância branca e rica.

Porém, o sucesso ultrapassou barreiras e a Grã-Bretanha se rendeu à novidade e começaram a surgir nomes conhecidos como Cliff Richard, Robert Johnson, Muddy Waters, entre outros.

The Beatles e Rolling Stones
The Beatles e Rolling Stones

Já na década de 60, bandas consagradas se lançariam ao mercado como Animals, Yardbirds, Rolling Stones e o famoso quarteto de Liverpool: The Beatles! Outros nomes consagrados também deram seus ares, em especial Aretha Franklin e Jerry Lee Lewis. O rock chegou pra ficar!

Paulistânia Caminho das Índias

E para ficar com uma sensação de descobrimento de algo novo e inusitado, que tal experimentar uma cerveja que homenageia os descobridores do Brasil: Paulistânia Caminho das Índias!

Uma Session IPA de respeito, com uma pegada de lúpulo americano e adição de açafrão das índias, porém com o equilíbrio dos maltes importados e um teor alcoólico de 4,2% dando aquele ritmo acelerado ao coração a cada gole, assim como é no rock!

Décadas de 70 e 80

Nestas décadas o tradicional rock n’ roll deu lugar às suas variações e diferentes sub estilos musicais.

Dentre eles temos a rebeldia do Punk Rock com bandas como Ramones, The Clash, Dead Kennedys, Bad Religion, entre outras, e também aos sub estilos do Rock progressivo como Pink Floyd, Yes, Rush, Genesis, Jethro Tull, Marillion e Led Zeppelin, e no Brasil, Secos e Molhados e Os Mutantes).

Bandas década de 70
Bandas inicio década de 70

E, por que não, ao bom Heavy Metal com bandas com letras de origens satânicas como Black Sabbath, Judas Priest, Iron Maiden (já experimentou as cervejas da banda? Veja elas aqui neste blog), Deep Purple, Motörhead, Scorpions, e etc.

Paulistânia Ipiranga

Era uma época de mais liberdade de expressão onde muitos artistas eram contra a guerra do Vietnã (1975) e foram influenciados pelo maior festival de rock de todos os tempos: Woodstock (que apesar de ter ocorrido entre 15 e 18 de agosto de 1969 influenciou gerações nas décadas seguintes.

E pra harmonizar esta época de abertura de novos estilos, que tal abrir uma Ipiranga da Paulistânia? Com uma pegada mais pesada, mais erudita, uma cerveja diferenciada e envelhecida em barril de amburana, com teor alcoólico heavy metal de 7,2% e claro, um corpo intenso e avermelhado com notas de rubi e sabor de notas caramelizadas, uma verdadeira viagem, assim como o rock da década de 70.

Indo um pouco mais adiante, as variações de estilos se propagaram e deram origem a estilos mais melódicos e rápidos, tendo a influência de grandes guitarristas eruditos que transformaram a época.

Bandas inicio década de 80

Nesta década temos nada menos que bandas como Van Halen, Bon Jovi, Metallica, Megadeth, Guns N’ Roses, só para citar os maiores! A guitarra começa a se destacar pelo som muito mais pesado!

Para combinar com essa pegada, que tal uma Paulistânia Pátio do Colégio? Uma belgian tripel bem encorpada com adição de cardamomo, que dá uma pitada picante no retrogosto e um corpo aveludado e caramelizado com um abv de 8%! Realmente uma pauleira!

No Brasil, as bandas mais marcantes da época foram Titãs, Legião Urbana, Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho e Capital Inicial. Um brinde à ascensão do rock nacional!!!!

Bandas brasileiras inicio década de 80

Décadas de 90 até os dias de hoje

Bandas brasileiras inicio década de 90

E o que podemos falar da década de 90, sem pensar nos movimentos alternativos, rock com uma pegada simples, porém com atitude!

Foi assim que começou o movimento grunge, liderado por bandas como Nirvana, Pearl Jam, Alice in Chains, e outros estilos alternativos com Green Day, Oasis, entre várias outras. No Brasil foi o início de bandas como Charlie Brown Jr., O Rappa, Raimundos e os divertidos Mamonas Assassinas!

Nas décadas mais atuais, que vai de 2000 até os dias de hoje, poucas bandas se tornaram influentes no mundo do rock. O rock ganha aí uma cara mais moderna, mais eletrônica e com isso se sobressaíram bandas como Evanescence, The Strokes, The Killers e Artic Monkeys.

Paulistânia Viaduto do Chá

No Brasil temos exemplos com Pitty, CPM22 e NX Zero. E para harmonizar com estas bandas, eu indico a Paulistânia Viaduto do Chá! Uma bela cerveja do estilo American Hop Lager. Saborosa no paladar, possui adição de erva mate e os lúpulos americanos que dão um toque de “limão” bem equilibrado nesta cerveja, lembrando as origens do verdadeiro rock n’ roll que nasceu na América do Norte!

Então é isso pessoal, espero que tenham curtido essas harmonizações em homenagem ao dia do rock com as cervejas top da Paulistânia. Você encontra todas essas cervejas citadas aqui e muitas outras no site da confrariapaulistaniastore.com.br. Quer nos dar uma dica? Então escreva aqui nos comentários e deixe a sua imaginação fluir. Certeza que o importante é vocês curtirem uma boa cerveja em boa companhia e de preferência ouvindo um bom e velho rock n’ roll, ok? Saúde e até a próxima! O Rock nunca deixará de existir, Long Live Rock N’ Roll!

Sobre Pizzas, Paulistanos e Paulistânia

Sobre Pizzas, Paulistanos e Paulistânia

Por Rodrigo Sena, jornalista, sommelier de cervejas especializado em harmonizações, técnico cervejeiro, criador de conteúdo para o youtube e o instagram @beersenses Aqui em São Paulo são consumidas mais da metade de todas as pizzas feitas no Brasil. Aqui em São Paulo temos a cervejaria 

INVERNO + FONDUE = CERVEJA

INVERNO + FONDUE = CERVEJA

Por Candy Nunes, Sommelière de Cervejas, Mestre em Estilos, Técnica Cervejeira e apresentadora –  @candysommeliere Existem cervejas de inverno? Bem, vou responder essa maravilhosa pergunta com outra: existe amor de verão?Pois é, claro que não há época para o amor, porém não há como negar que o 

WARSTEINER – UMA HISTÓRIA FAMILIAR!

WARSTEINER – UMA HISTÓRIA FAMILIAR!

A Warsteiner é o que se pode chamar de uma mega cervejaria familiar alemã, que encanta o mundo com sua cerveja de qualidade secular inquestionável.

Por Leonardo Millen, jornalista experiente, especializado em lifestyle de luxo, turismo e gastronomia. Também é um apaixonado por cervejas, tanto que escreve a coluna “Saideira” na revista Go Where, mantém o perfil @saideira.beer no Instagram e é o editor-chefe do Mesa de Bar (www.mesadebar.com.br), o portal definitivo de notícias sobre bebidas que acaba de chegar ao mercado. Inclusive cerveja!

Confirma meu último texto: ICH WILL EINEN ERDINGER!

Olá amigos! Estou de volta para contar uma história fascinante de uma lenda viva da cervejaria alemã: a Warsteiner. Para começar, é preciso dizer que ela foi fundada oficialmente em 1753, quando o Brasil nem existia como país. Então se arruma na poltrona que lá vem história…

imagens texto Warsteiner
cidade de Warstein

Tudo começou quando o fazendeiro Antonius Cramer, da pequena cidade de Warstein, localizada no meio da bela floresta de Arnsberg, no coração da região de Sauerland, no estado de Renânia do Norte-Vestfália (perto de Colônia e Düsseldorf) começou a fazer cerveja em casa.

A coisa foi crescendo, os vizinhos pedindo… Daí ele começou a cobrar, e como na Alemanha as coisas funcionam, ele foi solicitado a pagar imposto sobre a cerveja, já que o volume de sua produção caseira ultrapassava o permitido para consumo pessoal estipulado pelas autoridades da época.

ESSE IMPOSTO PODE!

Taí um imposto a ser comemorado! Esse foi o start para Antonius batizar sua cerveja de Warsteiner (é comum na Alemanha as cervejarias adotarem o nome da cidade em que são produzidas) e estruturar sua produção “artesanal”. Seu filho, Johannes Vitus Cramer, viu que o negócio era próspero e decidiu continuar o sucesso de seu pai. Ousadamente, ele empreendeu: construiu a pequena cervejaria Domschänke (o que hoje conhecemos como um brewpub), no centro de Warstein, e foi à luta! Os negócios iam bem, o filho de Johannes, Casper Cremer, nasceu em 1774, mas, à medida que o moleque crescia, aumentava também a popularidade da cerveja Warsteiner.

logo Warsteiner

Entretanto, a pequena Domschänke ainda produzia muito artesanalmente, em pequenos lotes. Não dava conta da alta demanda. Inconformado com essa limitação, Casper resolveu apostar tudo e construiu, em 1803, uma nova cervejaria, moderna, de última geração e movida a vapor. Assim ele pôde fazer cerveja nos mais altos padrões e de forma eficiente o suficiente para colocar uma Warsteiner na mão (ou no copo) de cada pessoa que solicitasse.

Casper teve um filho, Albert, e lhe ensinou tudo o que sabia. O que não sabia ele proporcionou. Albert foi enviado para a famosa academia de cerveja, a Brauerschule, em Worms. Lá ele refinou o seu gosto pela cerveja, pela arte, pela cultura e desenvolveu uma paixão pela natureza, o que edificou toda a filosofia da marca Warsteiner para os próximos anos (ou décadas, ou séculos).

Albert retornou a Warstein aos 22 anos com o prestigiado diploma de Braumeister (mestre em Ciência da Cerveja) embaixo do braço. E não pendurou na parede. Ele preferiu cair dentro do negócio e acabou contribuindo definitivamente para a história da cervejaria. Depois da primeira Guerra mundial, a Alemanha estava economicamente falida. Mas quis o destino que, em 1927, a paixão de Albert pela natureza o levou a descobrir, no coração da floresta de Arnsberg, a Kaiserquelle, uma fonte de água mineral excepcional, única, que jorra uma água límpida e leve. Resultado: a Warsteiner é produzida desde então com essa “água milagrosa” que contribui para a experiência do sabor único dessa cerveja.

A descoberta da fonte Kaiserquelle demandou uma mudança no processo de produção e comercialização. A Warsteiner vendeu que nem a água da fonte e Casper se tornou um líder profissional de sucesso da então indústria cervejeira alemã. Porém, veio a Segunda Guerra Mundial, a Alemanha foi praticamente destruída e precisou renascer das cinzas. Mas, obviamente, com cerveja! A Warsteiner foi, então, naturalmente crescendo conforme a demanda aumentava.

O negócio ficou tamanho que a moderna fábrica não dava mais conta. Daí, em 1976, o grosso da produção mudou-se do centro da cidade para a Cervejaria Waldpark, na periferia de Warstein.

Nessa época, Albert Cramer assumiu os negócios e contradisse o ditado: “O avô funda, o filho expande e o neto afunda”.  Visionário e excelente homem de negócios, ele transformou a cervejaria em uma potência, a sétima da Alemanha e uma das maiores mundiais. Vem daí o começo da internacionalização da Warsteiner, com ênfase no fantástico mercado norte-americano.

UMA TAÇA, UMA OBRA DE ARTE!

Cramer e sua equipe conseguiram desenvolver uma nova tendência cervejeira em restaurantes mais finos, tornando a cerveja socialmente aceitável em ambientes mais sofisticados.

Para isso, junto ao renomado designer de vidros Hermann Hoffmann, Cramer criou a tulipa Warsteiner, um estiloso copo de cerveja que carrega a imagem da marca Warsteiner até os dias de hoje.

A penetração e exposição foi tamanha que Andy Warhol imortalizou as três tulipas da marca, em 1984, em um de seus famosos quadros com silkscreen de objetos elevados à pop art.

O artista não só desenvolveu uma imagem que conseguisse expressar o símbolo da tulipa Warsteiner, como o fez de forma marcante. A arte apresenta três de seus clássicos copos, em formato de flauta, espumando com a famosa cerveja. Hoje, isso pode não ser visto de forma tão revolucionária, mas, na época, a ideia foi considerada excêntrica dentro do que se entendia como consumo de cerveja.

imagens texto Warsteiner
Artista da pop art Andy Warhol e o icônico quadro das taças Warsteiner

E era exatamente essa a ideia de Warhol (e de Cramer): mostrar que a cerveja vai muito além de algo para ser bebido por trabalhadores sedentos, em canecas rústicas e de forma trivial. Trata-se de uma bebida elegante e requintada, a ser consumida com calma, harmonizando com pratos ou durante eventos sociais. A Warsteiner, certamente, foi uma das primeiras cervejarias a promover essa ideia.

DE GERAÇÃO EM GERAÇÃO

Albert poderia bem ter saído na capa da Time ou da Forbes… Bom, quando ele morreu, em 2002, sua filha Catharina demorou um pouco, mas assumiu os negócios oficialmente em 2006.

Catharina Cramer
Catharina Cramer

A entrada de Catharina, fiel representante da nona geração da família Cramer na equipe executiva, marcou outra virada na história da empresa, pois ela se tornou a primeira mulher a ocupar um cargo sênior na tradicional masculina indústria cervejeira alemã.

Catharina seguiu e superou os passos de seus antecessores, pois inovou em modelos de gestão, aumentou a exportação e transformou com sucesso uma cervejaria alemã em uma das marcas líderes do setor globalmente.

Para se ter uma ideia, se na administração de seu pai a Warsteiner produzia 300 mil hectolitros, atualmente já superou a marca de 5 milhões de hectolitros (desculpe, mas não tenho os números atuais). Ou seja, o Albert fez as bases do império e a Catarina o expandiu.

A WARSTEINER HOJE

A cervejaria Warsteiner é incrível em vários sentidos. Ela continua no meio da floresta de Arnsberg, em uma área incomensurável e belíssima! Lembram do apreço do Albert pela natureza? Pois bem. Só para se ter um parâmetro, a área construída da cervejaria ocupa apenas 6% da floresta e mesmo assim ela é gigante, equivalente a 80 campos de futebol. O resto é tudo floresta preservada.

imagens texto Warsteiner
Fábrica da Warsteiner nos dias atuais

A produção continua a crescer e hoje a fábrica se tornou uma das maiores cervejarias em propriedade privada. Também é considerada uma das mais modernas instalações do ramo. Pode produzir, por exemplo, mais de 100 mil garrafas por hora, tanto que é referência para toda a indústria cervejeira alemã e até mesmo europeia.

Outro diferencial é que ela continua sendo uma empresa familiar, algo pouco comum no atual mundo das grandes corporações. Graças ao trabalho dos seus descendentes ao longo dos anos, do empreendedorismo e de uma estratégia internacional bem focada nos últimos 20 anos, a Warsteiner é atualmente consumida em 60 países e apreciada por sua alta qualidade.

No atual portfólio constam oito variedades de cervejas: Premium, Fresh, Dunkel, Radler, Herb (Double Hopped), Winter, Konig Ludwig Weissbier e Konig Ludwig Dunkel.

A fábrica pode ser visitada, mas eu nunca fui (quem sabe um dia). Dizem que ela é tão grande que o beertour é feito em um ônibus… Outra curiosidade que eu não deixaria de visitar é a Warsteiner Domschänke, aquela primeira fábrica-bar em Warstein que o Johannes construiu e que deu início a tudo. O brewpub funciona até hoje. Imagina tomar uma em um bar com mais de 200 anos!

Faça um tour virtual pela fábrica da Warsteiner https://www.warsteiner.com/ww-tour/WW-Tour2.html

A WARSTEINER NO BRASIL

A Warsteiner chegou ao Brasil por meio da Bier & Wein, que desde 1986, participa diretamente do desenvolvimento do mercado cervejeiro nacional, viabilizando a chegada de marcas de cervejas de todo o mundo, consolidando-se assim, como pioneira deste segmento no País.

No começo da década de 1990, a Warsteiner foi a primeira marca de cerveja importada pela Bier & Wein. A importação consistiu em: 108 caixas da cerveja, 400 barris e três equipamentos de chope. Atualmente, é uma das principais marcas do portfólio da empresa, estando entre as 4 mais vendidas.

Puxei na memória quando experimentei a minha primeira Warsteiner. Faz tempo… anos 1990 ou 2000. Só lembro que gostei e virei fã. Sempre que encontro com ela na prateleira ficamos no maior flerte… Por isso, meus caros amigos, há uma alternativa para você “paquerar” ela e levá-la para casa! E está bem aqui no Confraria Paulistânia Store da Bierwien, a importadora oficial da Warsteiner para o Brasil. Você, eu e todos que se interessam pelas cervejas alemãs de raiz podem ter facilmente a sua Warsteiner na mão (grande Casper). São quatro opções para seu deleite. Vamos lá:

imagem cerveja Warsteiner

Warsteiner Premium Beer

A cerveja Pilsen “top of mind” da Alemanha. Referência mundial e carro-chefe da cervejaria. É a cerveja mais comum, porém uma das melhores do estilo. Sua cor clara, dourada brilhante, de espuma persistente e elegante e aquele sabor amarguinho leve e refrescante encantam! Tem apenas 4,8% de teor alcoólico e combina com tudo, então pode se esbaldar, com moderação, claro. Está disponível aqui em garrafas de 330 ml ou 660 ml (ou em caixa com 24 e 12 unidades respectivamente) e também em barril de 5 L.

Warsteiner Dunkel

imagem cerveja Warsteiner

Um dos estilos que mais gosto. A Warsteiner Dunkel é naturalmente escura, por conta do malte meio tostado, que dá a ela um aroma e um sabor de caramelo e castanhas com um final levemente lupulado. Muita gente gosta de harmonizar com chocolate. Eu prefiro com uma bela linguiça ou aquelas salsichas brancas alemãs. Tem apenas 4,8% de teor alcoólico e está disponível aqui apenas em garrafas de 330 ml (em caixa com 24 unidades).

Warsteiner Double Hopped

Gosta do amargor? Pois essa aqui é a sua opção. Ela traz para os amantes da Warsteiner Premium Verum um toque a mais de lúpulo em uma típica lager alemã. Foram escolhidas as clássicas variedades de lúpulos ‘Hallertauer Perle’ e ‘Hallertauer Tradicional’, que são conhecidos por suas qualidades aromáticas e caráter frutado. O resultado é uma cerveja dourada, cristalina, com um equilíbrio perfeito entre o malte e a intensidade do amargor e excelente drinkhability. Tem apenas 4,8% de teor alcoólico e está disponível aqui apenas em latas de 500 ml (ou em caixa com 24 unidades). Essa também é coringa e gosto dela para qualquer hora e refeição. Escolha a sua preferida!

Warsteiner Fresh

imagem cerveja Warsteiner

Esta é a versão sem álcool da tradicionalíssima cerveja Warsteiner Premium Verum. Ela passa por um processo de “desalcoolização” – para ficar com 0,0% de teor alcoólico – sem interromper a fase de fermentação. Uma cerveja que tem seu valor para quem não deseja consumir bebida alcoólica e não abre mão da maioria das características da cerveja original.

Uma cerveja refrescante, lupulada, que pode ser consumida sem restrições, sendo perfeita para qualquer ocasião. Está disponível aqui apenas em garrafas de 330 ml (ou em caixa com 24 unidades).

Confira a matéria sobre cervejas 0 álcool: CERVEJA SEM ÁLCOOL, MAS COM MUITO SABOR!

Minha dica final é aproveitar que você está no site da Confraria para dar uma navegada pela loja e escolher quais Warsteiner encomendar. Ou todas! Vale também incluir outros rótulos da Bier & Wein no seu pedido porque sempre tem promoções irresistíveis de cervejas importadas e do portfólio da Paulistânia.

Espero que tenha gostado e… boas cervejas!

CERVEJA EM TERRAS BRASILEIRAS

CERVEJA EM TERRAS BRASILEIRAS

Por Anderson R. Lobato, dentre vários defeitos: Santista sofredor, Homebrewer, Sommelier de Cervejas, pai do Dudu e amante de um @Pao_Liquido.  Fala cambada de cervejeiros, como estão? Por aqui, feliz da vida de ter tomado a 1ª dose da vacina contra o Covid-19, e já ansioso 

FESTA JUNINA E CERVEJA

FESTA JUNINA E CERVEJA

Por Candy Nunes, Sommelière de Cervejas, Mestre em Estilos, Técnica Cervejeira e apresentadora –  @candysommeliere Considerada pelos historiadores como a segunda maior manifestação de festividades populares, os festejos juninos ficam atrás apenas do badalado carnaval, aqui no nosso brasilzão de meu Deus. Embora seja parte do calendário litúrgico 

ZODÍACO CERVEJEIRO – PARTE 2

ZODÍACO CERVEJEIRO – PARTE 2

Por André “Carioca” Souza, beersommelier, mestre em estilos e técnico cervejeiro, estatístico de profissão, atua no mercado cervejeiro desde 2008 tendo feito seu primeiro curso com Leonardo Botto. Especialista em harmonização de cervejas e responsável pela divulgação de conteúdo do @embxdrs.da.cerva.

Fala pessoal, tudo bem??? Continuando a nossa harmonização entre signos e cervejas (que vocês podem acompanhar a parte 1 aqui), o verdadeiro mapa astral da cerveja, vamos falar hoje dos 7 signos que faltavam!

ESCORPIÃO

Escorpião um dos signos do zodíaco cervejeiro

de 23/10 a 21/11

Se você é deste signo, muito cuidado, pois a percepção e sensualidade andam em alta!

Muitos acreditam que as pessoas de escorpião têm seus sentimentos amplificados, porém isso é um exagero.

Na verdade trata-se de um signo que consegue investigar as emoções humanas mais profundas! Tudo o afeta de forma mais intensa e, talvez por isso, tenha pouca paciência com o que não está certo e acaba transparecendo ser um pouco “autoritário” por fora, mas por dentro é capaz de administrar seus sentimentos e paixões.

Não brinque com uma pessoa de escorpião, pois apesar de ser um signo do elemento água, seu lado guerreiro vem à tona com as suas garras e seu ferrão: é um signo de luta!

Pensando nesse lado mais forte e guerreiro, os escorpianos harmonizam muito bem com a cerveja Trooper Premium, a cerveja do Iron Maiden!

Esta cerveja tem o mesmo nome de uma música do álbum Piece of Mind do Iron, chamada The Trooper, onde a letra foi inspirada na batalha de balaclava de 1854, na guerra da Criméia, entre russos e ingleses, onde estes últimos, em menor número, batalharam ferozmente contra os russos porém foram massacrados por estar em menor quantidade.

A cerveja é uma English Bitter, famoso estilo da escola inglesa onde a principal característica são os maltes que compõe a cerveja, deixando um dulçor de pão, biscoito bem presentes e também dos lúpulos que no caso são o Bobek, Golding e Cascade, que dão harmonia e remetem a aromas e sabores terrosos.

Com seus 4,7% de ABV, é uma ótima combinação para esse signo sentimental e batalhador que é o de Escorpião.

AQUÁRIO

Aquário um dos signos do zodíaco cervejeiro

de 21/01 a 19/02

E inaugurando os signos do zodíaco do elemento Ar, vamos falar dos aquarianos.

As pessoas deste signo são originais e prezam pela liberdade. Pensar fora da caixinha e lá na frente são suas maiores qualidades. Sempre ativos, com vontade de mudar a sua vida e talvez as dos outros também, sempre com sinceridade!

E uma das cervejas mais honestas e sinceras que podemos prestigiar é a Paulistânia Caminho das Índias!

Na minha humilde opinião, é uma super Session IPA que supera em qualidade e se diferencia das demais pelo sabor em um corpo leve e com baixo teor alcoólico (apenas 4,2% de abv), propiciando uma ótima drinkability.

Esta cerveja é simples mas robusta e harmoniza com quase tudo: desde um prato com carnes grelhadas, até um belo hambúrguer americano tradicional.

E sabem porquê? Porque os maltes e lúpulos desta cerveja com 42 de IBU equilibram, e muito, com o umami que contém nas carnes em geral (umami é o correspondente ao glutamato, presente em vários alimentos como carnes, queijos envelhecidos, cogumelos e até no chá verde).

Outra boa dica para este signo é a Paulistânia Trem das Onze, uma APA com 11 lúpulos. Sua intensidade e criatividade (você já ouviu falar de uma cerveja com 11 lúpulos?) é que dão o toque a mais nessa cerveja. Os lúpulos misturam aroma e amargor, dando um toque de excentricidade, o que todo aquariano possui em excesso.

Boa dica para quem quer degustar uma bela cerveja.

LIBRA

Libra um dos signos do zodíaco cervejeiro

de 23/09 a 22/10

Libra é o símbolo do equilíbrio. Será que é verdade? Librianos são harmoniosos e prezam a justiça.

Educados por natureza mas diplomáticos por ocasião. Talvez todo libriano deva ser uma pessoa politicamente correta, comunicativo, elegante e interlocutor.

A necessidade de justiça é o que mantém o espírito deste signo e com isso o equilíbrio entre as partes é o que os regem. Se formos pensar muito bem sobre uma cerveja para os librianos, que seja harmônica, equilibrada e ao mesmo tempo com senso de justiça, qual seria?

Talvez uma 1795 pois a harmonização entre o lúpulo Saaz com aromas frescos, florais e balanceado amargor mostram do que uma cerveja histórica, equilibrada e ao mesmo tempo saborosa é capaz!

Com 4,7% de ABV essa cerveja de baixa fermentação é límpida mas ao mesmo tempo potencializada! Bem a cara de uma pessoa de Libra, né?

Outra cerveja bem equilibrada e com senso de justiça é a Rodenbach Grand Cru. Essa cerveja não tem como não amá-la. A combinação do paladar ácido e ao mesmo tempo frutado e com notas amadeiradas (devido ao blend de ¾ de cerveja envelhecida por 2 anos em barril de carvalho e ¼ de cerveja jovem) faz esta cerveja ser única.

Então librianos, se deliciem com o sabor destes exemplares, pois vocês merecem o bom e o melhor.

GÊMEOS

Gêmeos um dos signos do zodíaco cervejeiro

de 21/05 a 20/06

Conhecem signo mais inquieto do que os geminianos? Eita signo que não consegue ficar parado.

Sempre atrás de uma grande novidade, seja fazendo muitas coisas ao mesmo tempo, seja conhecendo várias pessoas ou até mesmo várias atividades.

Este signo mostra que o tempo é curto e quanto mais coisas puder fazer ao mesmo tempo, melhor!

Para este signo, podemos harmonizar uma cerveja porreta: A Trooper IPA! Esta cerveja apesar de ser proveniente da Inglaterra, contém o que há de melhor dos lúpulos americanos que, combinada aos maltes ingleses traz à tona a versatilidade e inquietação do estilo.

Idealizada pelo vocalista da banda Iron Maiden, sir Bruce Dickinson, mas produzida pela cervejaria Robynsons Brewery, possui 4,3% de ABV, mas vem com uma pegada de heavy metal proveniente dos lúpulos.

Uma boa harmonização para o signo. Outra boa escolha é o combo de aromas e sabores que só a caixinha da VAT Boon irá proporcionar.

Quem sabe o que estou falando vai perceber que este kit vai fazer o geminiano não ficar parado: Possui aroma e sabor muito sutil, elegante e clássico para o estilo.

No combo você vai encontrar cervejas muito boas, ácidas, com pegada de bretta, mas ao mesmo tempo apaixonantes! Cada cerveja é produzida e armazenada em diferentes barris que são tão antigos que não existe cópia.

Esse mix de raridade, diferenciação e paladar rústico fará qualquer geminiano sair da caixinha, com certeza.

E por fim, não poderíamos deixar de falar dos signos mais festeiros que existem, os signos do fogo: Áries, Leão e Sagitário (o meu, claro!).

ÁRIES

Áries um dos signos do zodíaco cervejeiro

de 21/03 a 20/04

Quem conhece um ariano sabe que ele nasceu para ter a iniciativa. Bora fazer cerveja? Bora beber umas cervejas?Certamente o ariano responderá: Sim, topo!

A personalidade do ariano está na liderança. Capaz de fazer coisas loucas para conseguir conquistar o seu espaço, as pessoas deste signo têm talento para assumir riscos e, com isso, ganhar muitas coisas a seu favor.

Nunca brigue com um ariano pois eles sempre vencem. Predestinados a ocupar o seu lugar no mundo, determinados em vencer a batalha, este signo é regido por marte, deus da guerra, então, não queira ficar na frente de um.

Agora, pensando em cerveja, uma boa dica para este signo é a Baladin Leön, uma Belgian Strong Dark Ale. Produzida pelo excêntrico e doido Teo Musso (my brother), um italiano de respeito, a Leön possui uma bela espuma que tem cor de avelã.

Notas amadeiradas, aveludadas e ao mesmo tempo frutadas remetem a esta cerveja. Com teor alcoólico de 8,5% ela fica melhor e mais aromática à medida que vai esquentando na taça.

Com isso, as notas de chocolate provenientes dos maltes tostados vêm à tona e isso muda a cerveja sensorialmente. Um espetáculo. Assim como um bom ariano, quanto mais quente, melhor!

LEÃO

Leão um dos signos do zodíaco cervejeiro

de 22/07 a 22/08

Talvez o signo que mais interaja com a beleza e com a autoestima seja o leonino.

Sedução, carisma, força e conquista.

Leoninos são indomáveis. Soberanos por natureza, incansáveis, responsáveis (até certinhos demais para o elemento fogo) e ao mesmo tempo motivadores, pois com a sua fortaleza levantada dão rumo ao que querem e, uma vez conquistados, não voltam atrás.

São exemplos de liderança mas também podem ser românticos e fiéis ao mesmo tempo, desde que a pessoa com quem se relaciona mostre ser também.

Festeiros e curiosos, querem que a vida acabe em festa! Curtem viver a vida adoidados.

E o que podemos harmonizar com este signo? Talvez a cerveja do amor, uma Kriek Boon cai muito bem. Uma cerveja leve, de fermentação espontânea, leveduras selvagens e uma pegada ácida com adição de cerejas (as krieken).

Produzida com a combinação de Lambics jovens e envelhecidas e apenas 4% de teor alcoólico. Harmoniza muito bem com sobremesas que dá uma balanceada na acidez e no sabor.

Perfeito para o símbolo da dominação e do romantismo!

SAGITÁRIO

de 22/11 a 21/12

E por fim, o melhor signo de todos (o meu, claro!). Sagitariano topa qualquer parada, desde que tenha cerveja e diversão.

Talvez o símbolo mais divertido, alegre e festivo. As pessoas deste signo curtem se arriscar para viver a vida.

Seu símbolo é um centauro, metade homem e metade cavalo, que significa que é racional (o homem) e ao mesmo tempo animal (o cavalo). Seu arco e flecha é a dica que mira em algum ponto e lança sua flecha sem direção, na esperança de poder alcançar o que procura: felicidade, diversão e cerveja, claro!

É uma pessoa bem teimosa e ao mesmo tempo conquistadora. Está no sangue! E será que tem cerveja para uma pessoa desse signo? Sim, todas que você pode encontrar no site da confrariapaulistaniastore.com.br!

Não existe cerveja específica para esse signo, todas são boas escolhas. Então sagitarianos, aproveitem que vocês têm esse dom e já peça uma para comemorar!

Então é isso pessoal, espero que tenham curtido essas harmonizações entre signos e cervejas.

Mas, se vocês têm outras dicas de harmonização que combinam com seu signo, porque não escreve aqui nos comentários e nos dá uma dica? Certeza que o importante é vocês curtirem uma boa cerveja em boa companhia ok? Saúde e até a próxima!

CONFRARIA ONLINE

CONFRARIA ONLINE

UM GUIA PARA SUA CONFRARIA ONLINE Em tempos de pandemia uma boa fonte de diversão segura é reunir amigos cervejeiros em uma Confraria online. Saiba aqui como você pode fazer a sua de uma maneira muito simples. Por Rodrigo Sena, jornalista, sommelier de cervejas especializado 

PARIS 2 – BOLERO DE RAVEL NA CHAMPS ELYSEES

PARIS 2 – BOLERO DE RAVEL NA CHAMPS ELYSEES

Por Luiz Caropreso, professor, sommelier, escritor, consultor e colunista para a área de cervejas. Diretor da BeerBiz Cultura Cervejeira. Olá meus amigos cervejeiros. Conforme havia dito, neste mês darei continuidade às minhas aventuras zitogastronômicas em Paris. (leiam o texto PARIS 1 – “JE VEUX T’ACHETER UNE 

ZODÍACO CERVEJEIRO – PARTE 1

ZODÍACO CERVEJEIRO – PARTE 1

Por André “Carioca” Souza, beersommelier, mestre em estilos e técnico cervejeiro, estatístico de profissão, atua no mercado cervejeiro desde 2008 tendo feito seu primeiro curso com Leonardo Botto. Especialista em harmonização de cervejas e responsável pela divulgação de conteúdo do @embxdrs.da.cerva.

Fala pessoal, tudo bem??? No último post, falamos um pouco sobre harmonizações de músicas e cerveja, o chamado Beer & Music Pairing. O pessoal gostou tanto que agora me pediram mais uma harmonização inusitada: Qual a melhor combinação entre signos e cervejas????

Post indicado: MÚSICA E CERVEJA

Ahahahah isso mesmo, vamos falar agora para vocês sobre qual é o estilo mais “indicado” para cada signo. Mas lembrem-se que isso é apenas uma sugestão. Não necessariamente cada signo tem uma única opção de harmonização e, por isso, cabe a cada um interpretar o resultado do seu jeito. Bora lá?

Bom, antes vamos falar um pouco sobre a origem da astrologia.

A história da astrologia vem de um período muito antigo, desde os primórdios da origem do homem.

Desde a antiguidade, as observações do céu noturno, das estrelas e do movimento dos planetas forneceram ao ser humano indícios de que esse comportamento era divino ou proveniente de alguma divindade e que guiavam a tudo e a todos, desde os navegantes, as colheitas e até mesmo os sacrifícios religiosos.

Porém, foram com alguns pensadores gregos e entusiastas babilônicos que a astrologia se desenvolveu, tendo sido originado da fusão entre a filosofia natural grega e a adivinhação celestial dos babilônicos.

Aqui vale comentar que astrologia é diferente de astronomia, pois este é focado no estudo científico dos astros!

Então, ao observar as constelações, estes estudiosos faziam adivinhações ou comparações com o que estava acontecendo no mundo.

Foi aí que resolveram repartir o céu em 12 faixas de 30 graus cada, correspondendo aos 12 signos do zodíaco conhecidos até hoje.

Cada signo é então regido por um elemento (terra, fogo, água ou ar) e um dos 9 planetas do nosso sistema solar (além do sol e da lua).

Sendo assim, os astrólogos conseguiram determinar um “perfil” para cada signo e é aí que vem a grande sacada: cada signo do zodíaco tem uma personalidade própria e é com base nisso que vamos harmonizar cada um com um tipo ou estilo de cerveja diferente!

Vamos começar então com os signos dos elementos terra e água.

TOURO

Os taurinos são considerados muito pés no chão. São determinados, cautelosos, pacientes, persistentes e um pouco teimosos.

Zodíaco Cervejeiro - Parte 1 Touro

Por ser um signo do elemento terra e regente em vênus, gostam de tudo que vem da terra e por isso muitos se dedicam à culinária e harmonizações.

Pensando em cerveja, os alemães são grandes mestres-cervejeiros, determinados e pacientes, mas também persistentes, como os taurinos.

Logo, a melhor sugestão de cerveja para uma pessoa deste signo é uma cerveja alemã de respeito.

Variando desde a HB tradicional, uma Münchner Helles de baixa fermentação com 5,1% de ABV, refrescante, levemente amarga com toques de malte e aromas que remetem desde a um panificado até um biscoito.

Até uma Erdinger Pikantus, uma cerveja forte com 7,3% de ABV, assim como a figura do touro, complexa, devido à combinação de maltes tostados de trigo e cevada, e persistente, como são os taurinos pois a cerveja possui longo processo de maturação para chegar ao ponto ideal de consumo.

Saiba mais sobre a Erdinger: ICH WILL EINEN ERDINGER!

VIRGEM

Zodíaco Cervejeiro - Parte 1 Virgem

Já os virginianos são totalmente organizados e disciplinados, exigentes porém ao mesmo tempo criativos e determinados. Também são do elemento terra e com regente em mercúrio. Sua intenção é melhorar tudo o que tem ao seu alcance.

Falando nisso, a Escola Belga é considerada a Escola dos aprimoramentos cervejeiros, pois muitas das cervejas são diferenciadas porque são feitas com técnicas criativas, assim como, todo virginiano.

São desenvolvidas por mestres-cervejeiros renomados e também por monges que dominaram e aprimoraram as técnicas de fermentação em tanques abertos, pela utilização de leveduras selvagens, ingredientes especiais como frutas silvestres, entre outras.

Então, uma bela harmonização para este signo poderia ser uma Geuze Marriage Parfait, uma Lambic com um mix de safras envelhecidas em tonéis de carvalho, alta carbonatação mas com um sabor único remetendo a notas “animalescas”. Uma ótima sugestão!

Conheça melhor a BOON: PASSADO, LEGADO E FUTURO.

CAPRICÓRNIO

Os capricornianos são obstinados.

Não há nada que possa impedir o seu caminho, nada que não possam alcançar e nada que impeçam sua vontade de vencer!

Zodíaco Cervejeiro - Parte 1 Capricórnio

O trabalho é talvez uma das suas maiores prioridades de vida. Para celebrar os momentos e vitórias conquistadas no dia-a-dia, os capricornianos precisam de cervejas com estilo.

Dentre elas, claro, não teria como não falar da cerveja Capricórnio da Paulistânia!

O símbolo caprino que estampa este magnífico exemplar do estilo cacau bock é uma homenagem ao pico do Jaraguá, onde passa o trópico de capricórnio, na cidade de São Paulo. Sua robustez é magnífica pois é ao mesmo tempo aromática, com médio teor alcoólico (6,4% abv) e encorpada, remetendo a maltes tostados e amêndoas.

Além desta, a melhor cerveja para celebrar as conquistas dos capricornianos é a La Trappe Quadrupel!

Uma cerveja originária da Holanda, produzida sob a supervisão de um monge e com selo trapista de autenticidade, é uma bela cerveja para comemorar com grande estilo. Possui teor alcoólico elevado chegando a 10%, porém, equilibrado com o aroma e dulçor característico de caramelo, frutas secas como banana passa, ameixas, uvas passas e até especiarias. Uma excelente sugestão!

Leia também: UMA MARCA COM DNA PAULISTANO – PARTE 1 CAPRICÓRNIO

CÂNCER

Falando agora um pouco sobre os 3 signos do elemento água.

Zodíaco Cervejeiro - Parte 1 Câncer

Começaremos com os cancerianos. Estes levam a emoção ao último grau, fazendo-se enxergar pelo coração.

Sentimento e sensibilidade são suas principais virtudes, indicando como e quando agir. Por ter o elemento água, são apreciadores de lugares calmos e apaixonantes e a melhor harmonização para isto é uma cerveja que harmoniza perfeitamente com frutos do mar, peixes e até mesmo caranguejos, símbolo do signo.

Para isso, selecionamos a Corsendonk Blanche, do estilo Witbier, com notas de trigo, uma pegada de cítrico e um toque bem floral e de especiarias ao mesmo tempo, ou seja, uma combinação apaixonante em formato de cerveja!

Mas, para quem realmente leva a emoção e o coração ao pé da letra, nada melhor do que uma cerveja de fermentação espontânea que possui cereja em sua composição: A Oude Kriek Boon à L’ancienne!

Esta cerveja possui uma coloração vermelho profundo, chegando ao tom de rubi e é fermentada com cerejas azuis em barris de carvalho por 1 ano, tornando-a única.

Texto indicado: CORSENDONK, UM PRAZER ABENÇOADO!

PEIXES

Existe signo mais compatível com o elemento água do que peixes? Provavelmente não!

Zodíaco Cervejeiro - Parte 1 Peixes

Os piscianos são pessoas bondosas e calmas e servem de inspiração para muita gente.

São aquelas pessoas que acolhem e confortam e no mundo cervejeiro isso tem muito a ver com os monges pois eles são as pessoas que vão trazer esperança para os demais, ajudando no que for preciso.

Sendo assim, a cerveja que mais harmoniza com as pessoas de peixes com certeza será uma La Trappe Tripel.

Esta cerveja produzida na Holanda é única pois ao mesmo tempo que possui um dulçor característico do estilo, possui um sabor condimentado que equilibra a cada gole.

Sua coloração é um pouco mais clara, porém possui 8% de abv. É ótima para degustar com peixes grelhados ao molho de alcaparras, crustáceos e até mexilhões!

Além desta harmonização perfeita, sugerimos também a cerveja Paulistânia Pátio do Colégio!

Saiba mais: A CERVEJA DOS MONGES

Ela também é uma Belgian Tripel, porém com adição de cardamomo, uma especiaria que dá um toque apimentado, porém sem perder o dulçor característico. Uma verdadeira paz de espírito, como o que todo pisciano deseja! 😉

Pessoal, por enquanto vamos nos dedicar a estes signos, porém não fique triste se vocês ainda não encontraram a sua harmonização perfeita aqui, falaremos dos demais signos em breve!

Se vocês querem curtir uma harmonização diferente, saibam que no site da Confraria Paulistânia Store você vai encontrar estas e várias outras opções para este momento mágico entre signos e cerveja.

Aproveitem as dicas e deixe aqui embaixo o seu comentário se você concorda ou discorda das sugestões!

Saúde e até a próxima!